Transcrição do vídeo:

Câncer de Mama é hereditário?

O câncer de mama, ele é uma doença, que na sua maioria, cerca de 80% dos cânceres de mama, não ocorrem de uma forma hereditária, ou seja, não está ligado a uma transmissão de gênesis, que passam de geração para geração, seja pelo pai ou pela mãe e que esse ente vai desenvolver a doença, não.

Como os cânceres de mama se desenvolve?

A maioria dos cânceres de mama, ocorrem na população de uma forma esporádica, ou seja, aquele indivíduo ficou doente pelas condições que o ambiente proporcionou e que ele terminou desenvolvendo essa doença. Aproximadamente 5 a 10% dos cânceres de mama é que são hereditários. A gente precisa da consulta com um mastologista, na consulta com um oncologista, é importante o profissional, ele detalhar na história de cada indivíduo, se existem fatores de risco hereditários e com isso tomar medidas para se fazer uma avaliação genética. Então, a maioria, ou seja, a população em geral, a considerada mulher de baixo risco, ela não tem indicação de fazer consulta com um geneticista ou pesquisa genética.

Como que a gente seleciona essa pacientes, para irem para a pesquisa genética?

Na entrevista, a gente procura então, extrair a história de familiares que tiveram doença. O que chama a atenção do câncer de mama hereditário? As mulheres que tiveram parentes de primeiro grau com câncer de mama, então seja: a mãe, irmã ou filha com câncer de mama, isso chama a atenção, e especialmente se esses parentes de primeiro grau tiveram a doença antes dos 50 anos então, quanto mais precoce é o diagnóstico de um ente de primeiro grau, isso chama mais atenção.

O câncer de mama alterna conforme passa de geração para geração?

Chama também, bastante a atenção, sobre a questão do câncer hereditário, quando a gente observa mais de uma geração com câncer de mama, então por vez, a gente se deflagra a certas famílias, que a paciente conta história assim, a avó teve o câncer de mama aos 70 anos, a mãe teve o câncer de mama aos 50 anos, uma tia com câncer de mama aos 45, a gente começa a observar que a cada geração a doença se manifesta de uma forma mais precoce, isso chama a atenção, chama-se fenômeno de antecipação e isso chama a atenção para a hereditariedade.

Câcer de mama em homens aumentam a chance de se ter em mulheres?

Todas as famílias, que tenham câncer masculino, homens com câncer de mama, todas as mulheres são consideradas como risco aumentado. Famílias que tiveram histórico de câncer de mama, em primeiro ou segundo grau e que tiveram histórico de câncer nas duas mamas, isso também chama a atenção.

Câncer de mama é mais frequente nas mulheres

O câncer de mama é hoje o câncer mais frequente na população feminina, estimado para o Brasil para este ano, aproximadamente 60.000 novos casos de câncer de mama. Então, a gente olhando as famílias é muito comum a gente escutar a pessoa dizer assim, eu tenho uma prima com câncer de mama ou a minha tia teve câncer de mama, mas são situações isoladas, que a gente não consegue com isso traduzir o aumento de risco para aquele indivíduo especialmente e essas condições de a gente identificar famílias, identificar pessoas, que tenham mais risco é muito importante, porque nos faz tomar certas decisões como, por exemplo, quando iniciar a mamografia.

Quando começar a fazer mamografia?

A mamografia a gente costuma iniciar a partir dos 40 anos, a população em geral e nessas famílias chamadas de alto risco a gente costuma antecipar a mamografia, então para 35 anos, em alguns casos até mais cedo, utilizando-se por vez além da mamografia, a ecografia e a ressonância magnética. Então, isso cabe realmente a uma consulta a um especialista, ao profissional, que vai poder fazer essa orientação melhor e separar quem são as mulheres consideradas como um risco hereditário, com um potêncial risco hereditário, e quem são as mulheres da população em geral.